Áustria: centro e ultradireita no poder

Outubro 18, 2017

[caption id="attachment_4738" align="alignleft" width="300"] 455F437900000578 4982100 image a 26 1508109971965 300x206 Sebastian Kurz, eleito como 1º Ministro da Áustria[/caption]

Aqueles que temem a volta da Áustria às mãos dos nazistas tremem agora com a vitória do Partido Popular (OVP), mesmo que apenas com 32% dos votos, nas eleições gerais antecipadas realizadas no último domingo. Além disso, o tradicional país europeu inevitavelmente passará a ser governado pelo mais jovem dirigente do mundo, Sebastisn Kurz, um garoto de 31 anos de idade que, como alguém recém saído da adolescência, pensa saber tudo. Mas, esta é uma situação que os austríacos conscientemente criaram para si próprios e já não pode ser considerada uma novidade.

Dezessete anos atrás os eleitores do simpático e admirável país de Mozart já haviam dado um grande susto na União Europeia ao colocar no poder uma aliança entre o ultradireitista Partido Austríaco da Liberdade (FPO) e o Partido Popular da Áustria (OVP), um esquema de governo que apesar de isolado e combatido pelos demais países conseguiu manter-se por cinco anos até ser substituído por uma coalizão comandada pelo Partido Social-Democrata (DEM) que agora terá, pelo menos, de ceder o comando.

Nas eleições do domingo 15 de outubro o resultado, ainda preliminar, foi: OVP 32% - DEM 27% - FPO 26%.  Junto com o Parlamento eleito, a aliança a ser formada comandará o país pelos próximos cinco anos.

O líder do Partido Popular é o "Wunderwuzzi" - garoto prodígio - Sebastian Kurz, que já foi Ministro de Relações Exteriores. Venceu com um discurso recheado de concessões xenófobas, anti-islâmicas e anti-israelitas, de bloqueio ao fluxo migratório do leste que nos últimos tempos forçou sua entrada pelas fronteiras com a Hungria, Eslováquia e até mesmo dos que haviam originalmente chegado à Alemanha. Em meio às intensas negociações políticas que estão sendo feitas, uma possibilidade - ao menos para salvar as aparências - é de que o novo bloco governamental se constitua por meio da união entre o Partido Popular e os democratas, reiterando a coalizão atual. Em 2015 Kurz foi o responsável pelas negociações com os vizinhos que levou ao gradativo fechamento dos acessos aos migrantes vindos da Grécia.

Acompanhando a onda que há pouco levou Emmanuel Macron e Justin Trudeau ao poder na França e no Canadá, Kurz será o mais jovem comandante de uma nação não só na União Europeia, mas provavelmente de todo o mundo tão logo Vanessa D'Ambrosio (28 anos) encerre, em novembro próximo, seu mandato na República de San Marino.

Tags: [Áustria, ultra-direita, União Europeia]