Guatemala: genocida ganha tempo

Janeiro 07, 2015

A guerra civil guatemalteca alongou-se por 36 anos, de 1960 a 1996, deixando como salto tétrico a 245 mil mortos ou desaparecidos,segundo a ONU, que responsabilizou o Exército e grupos paramilitares, culpando-os em 97% dos casos.

Efraín Ríos Montt, Presidente da República nos anos 1982 e 1983, comandou o assassinato de 1.771 indígenas da etnia maia Ixil. Levado, enfim, a julgamento a corte penal o condenou a 88 anos de prisão, em sentença irrecorrível de 10 de maio de 2013. Por detalhes processuais o julgamento foi anulado pela Corte de Constitucionalidade e Ríos voltou para casa aguardando novo processo que agora chega às salas do Tribunal Superior de Justiça.

Junto a ele está Maurício Rodriguez Sánchez, ex-diretor de Inteligência Militar, que foi absolvido. Agora, uma vez mais indígenas maias postaram-se na praça, em frente ao Tribunal, gritando: "Genocida, covarde. Justiça é o que queremos".

À última hora o médico Mario Bolaños, ex-Ministro da Saúde da ditadura, emitiu uma declaração dizendo que Montt, de 88 anos, sofria de um trauma na coluna cervical que o impedia de sair da cama. Enquanto isso, a defesa do general pediu a inabilitação da juiza Irma Janeth Valdés porque escreveu uma dissertação de mestrado sobre o tema "genocídio", com o que teria emitido prévia opinião. Ela respondeu dizendo que se tratava tão somente de um recurso protelatório, mas as outras duas juízas - Sara Yoc Yoc e María Eugenia Castellanos - deram razão aos apelantes. Agora, enquanto não for nomeada uma juíza substituta para o posto de Janeth, o julgamento terá de esperar.

A Torre dos Tribunais, no centro de Ciudad Guatemala, a capital, viveu momentos circenses nesta 2a. feira 5 de janeiro de 2015. A Corte deu o prazo de uma hora para o comparecimento de Ríos Montt, caso contrário a polícia o traria à força. Uma ambulância foi buscá-lo e de fato o trouxe em uma maca (vide imagem), coberto por um lençol. Aguarda-se o desfecho do próximo capítulo.

[caption id="attachment_1513" align="alignright" width="300"]O general da reserva Ríos Montt é trazido numa maca para assistir a seu julgamento na Torre dos Tribunais na Guatemala O general da reserva Ríos Montt é trazido numa maca para assistir a seu julgamento na Torre dos Tribunais na Guatemala[/caption]

Tags: []