Crise brasileira: repercussões internacionais – Governo Temer resiste (Boletim nº 43 em 2/8/2017)

Agosto 03, 2017

A imprensa global concedeu forte destaque ao noticiário sobre a votação na Câmara dos Deputados em Brasília que manteve a Michel Temer no cardo de Presidente da República.

O noticiário reproduzido abaixo é, sucessivamente, do britânico The Guardian, do madrilenho El País (de sua edição em português) e do La Nación de Buenos Aires.

Brazil's president keeps job as congress votes against corruption charges

Lawmakers overwhelmingly oppose charges for Michel Temer despite broad popular support, as observers condemn ‘bankruptcy of political system’

Brazil’s president, Michel Temer, faced possible corruption charges after an aide was given $150,000 in cash.

 Brazil’s president, Michel Temer, faced possible corruption charges after an aide was given $150,000 in cash. Photograph: Evaristo Sa/AFP/Getty Images

 Dom Phillips in Rio de Janeiro - Thursday 3 August 2017

The credibility of Brazil’s congress has been left in rags after its lower house overwhelmingly voted not to approve corruption charges against the president, Michel Temer – even though 81% of his countrymen said in a recent poll that they should.

Temer was charged with corruption after a close aide was given $150,000 in cash – part of $12m in bribes prosecutors allege he and the aide were due to receive after intervening in a business deal.

Two-thirds of the lower house had to approve the charges before the supreme court could confirm the decision and suspend the president for up to 180 days for a corruption trial. But more than half of its deputies deputes voted for Temer, giving him a clear victory, as had been widely expected, and saving his beleaguered presidency - at least for now.

“I want to construct a better country for each Brazilian, pacified, just, without hate or rancor. Our inexorable destiny is to be a great nation,” Temer said in a victory address. “I thank the Chamber of Deputies.”

The decision came just over a year after many of the same deputies voted to suspend Temer’s predecessor, Dilma Rousseff, for breaking budget rules – charges that led to her eventual impeachment.

Deputados salvam Temer e enterram denúncia de corrupção

Planalto demonstra força e deputados impedem que Supremo Tribunal Federal analise acusação contra ele

Votação Michel Temer

Maioria da Câmara vota contra a investigação de Temer, enquanto alguns opositores protestam contra o Governo. EVARISTO SA AFP

XOSÉ HERMIDA - AFONSO BENITES - Brasília 2 AGO 2017 

Os mesmos deputados que deram sinal verde para derrubar a presidenta Dilma Rousseff por maquiar as contas públicas, há 15 meses, salvaram nesta quarta-feira o seu sucessor, Michel Temer, de uma denúncia do Ministério Público por suposto recebimento de propina. A aliança de centro-direita que em abril de 2016 acabou com 13 anos de Governo do esquerdista PT conseguiu os apoios necessários para impedir que o Supremo Tribunal Federal analisasse o caso que poderia afastá-lo do cargo por até seis meses. Numa conturbada sessão da Câmara dos Deputados, Temer conseguiu 263 votos, bem mais que os 172 mínimos necessários para enterrar a ação judicial.

 Temer e seus aliados utilizaram até o último minuto todas as armas para frear possíveis deserções e garantir a continuidade do Governo, ainda que a oposição, que marcou 227 votos no placar, jamais tenha chegado perto de conseguir os 342 votos necessários dos 513 possíveis  Poucos, como Temer, conhecem as artimanhas para captar apoios na política brasileira. Não é à toa que ele presidiu a Câmara em três ocasiões e atuou como um dos homens fortes do PMDB, especialista em selar pactos com Deus e depois com o Diabo, capaz de se aliar durante anos com o PT para depois, repentinamente, transformar-se em seu algoz.

 Há 15 meses, quando se debatia o impeachment de Dilma Rousseff, milhares de pessoas protestavam na imensa esplanada diante do edifício do Congresso. Embora os índices de rejeição de Temer batam novos recordes, desta vez havia um único manifestante, um homem que há muito tempo percorre o país imitando a figura de Cristo na cruz. A falta de resposta das ruas facilitou a situação para aliados de Temer. A bandeira do patriotismo serviu-lhes no ano passado para derrubar Dilma e voltou a servir-lhes contra as evidências encontradas pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, e a polícia de que o presidente, através de um intermediário, acordou o pagamento de subornos com um dos homens mais ricos do país, o magnata da JBS, Joesley Batista. A queda de Temer – alegaram seus defensores, um depois do outro – comprometeria a incipiente recuperação econômica e o programa de reformas liberais, além de afundar ainda mais o país na instabilidade política. “O Brasil está acima de tudo”, repetiram. Apesar das exortações, o placar obtido por Temer não é animador para a reformas. Esse tipo de projeto, como as mudanças previdenciárias, precisa de 308 votos na Câmara, mais do que os apoios diretos, que foram 264, além de 19 ausências e duas abstenções.

Brasil: en una tumultuosa sesión, la Cámara de Diputados rechazó la denuncia por corrupción contra Temer

Para el presidente, que tiene apenas un 5% de popularidad, fue una demostración de fuerza política en medio del enfrentamiento con la Justicia y ante las crecientes críticas de la sociedad

Alberto Armendáriz - LA NACION - MIÉRCOLES 02 DE AGOSTO DE 2017 • 20:52

BRASILIA.- Michel Temer se salvó otra vez. En una sesión de ánimos caldeados, en la que hubo gritos, protestas y acusaciones de compra de apoyos, la Cámara de Diputados de Brasil rechazó esta noche la denuncia por corrupción contra el presidente por el escándalo de sobornos del frigorífico JBS, que amenazaba con sacarlo del poder.

Por 264 votos en contra, 227 a favor, dos abstenciones y 19 ausentes, la Cámara baja decidió no aceptar la demanda presentada el mes pasado por la Procuraduría General de la República contra Temer, del Partido del Movimiento Democrático Brasileño (PMDB). Era necesario un respaldo de dos tercios de los diputados -342 de un total de 513- para que la denuncia fuera aprobada, Temer fuese apartado de su cargo por hasta 180 días y juzgado por el Supremo Tribunal Federal.

En un breve mensaje desde el Palacio del Planalto, Temer apuntó que el resultado en Diputados era "claro e incontestable", y que ahora su gobierno tendrá más fuerza para acabar con las divisiones en el país, crear puestos de trabajo y restaurar el crecimiento económico después de la peor recesión en la historia de Brasil.

Tags: [Brasil, Brasil - escândalos - corrupção - Petrobrás - Lava Jato - rio Doce - Lula - Dilma Rousseff - |ica, Câmara dos Deputados, Dilma Rousseff, Michel Temer]