Crise na Petrobrás: repercussões internacionais - Por que os brasileiros nunca desistem? (Boletim nº 22, em 7/11/2015)

Novembro 08, 2015

A rede Al Jazeera analisa o atual quadro econômico e social brasileiro, em reportagem de Hoda Abdel-Hamid escrita com base em entrevistas realizadas no Rio de Janeiro. O vídeo, com falas em português de uma taxista e de um barbeiro de favela, podem ser vistos no site www.aljazeera.com, edição de 7/11/2015. Segue uma tradução livre e o texto em inglês.

“Brasil com seus altos e baixos: porque os brasileiros nunca desistem?

Como o Brasil enfrenta uma rápida queda econômica, viajamos ao Rio de Janeiro para entender como cidadãos  comuns se comportam.

Por anos o futuro do Brasil pareceu brilhante. Uma economia em rápido crescimento colocou milhões de pessoas pobres na classe média.

Como a Rússia, Índia, China e África do Sul, o país parecia destinado a se tornar um novo e importante ator no mercado global.

Então, súbita e surpreendentemente tudo chegou ao fim. Desemprego crescente e inflação alta espalharam-se pelo país com uma rápida queda no crescimento econômico, associado à indústria do petróleo e à empresa estatal Petrobrás, a maior empresa brasileira, que afundou na medida em que o preço do barril de petróleo caiu em cerca de 50% nos últimos 12 meses.

Milhões de pessoas estão, agora, com medo de voltar à pobreza uma vez mais. Colocando combustível na fogueira veio um escândalo de corrupção como nunca alguém havia visto – revelando-se que bilhões e bilhões de dólares foram secretamente transferidos da Petrobrás para veteranos políticos, e a gigante petrolífera perdeu metade do seu valor.

Antes de ser presidente, Dilma Rousseff foi diretora principal da Petrobrás. Ela nega qualquer envolvimento e não foi acusada de ter feito qualquer coisa errada, mas sua conexão com a empresa não a recomenda bem. Ela se transformou no símbolo do que deu errado no país.

A reação dos brasileiros foi severa e milhares demandaram o impeachment da presidente. Outros ficaram mais calmos, embora igualmente zangados, pois olham para a frente e vêm um futuro mais incerto do que aquele que percebiam há poucos meses.”

Segue-se um direcionamento para as entrevistas feitas pela jornalista árabe, explorando a insatisfação fatalista e pacata de brasileiros típicos, segundo suas lentes..

.

Brazil's highs and lows: Why 'Brazilians never give up'

As Brazil faces a rapid economic downturn, we travel to Rio de Janeiro to find out how everyday citizens are coping.

07 Nov 2015 10:06 GMT | Business & Economy, For years, Brazil's future looked very bright. A rapidly growing economy was moving millions of poor people into Brazil's middle class.

Like Russia, India, China, and South Africa, the country seemed destined to become a new and important player in the global marketplace.

And then, suddenly and surprisingly, it all came to an end. Rising unemployment and high inflation has descended across the country with a rapid slowdown in economic growth.

The country's economic growth, tied to the oil industry and the state oil company Petrobras, Brazil's largest corporation, has slumped as oil prices have fallen by almost 50 percent in the past 12 months.

Millions of people are now afraid that they will become poor once again.

Adding fuel to the fire was a corruption scandal bigger than anything anybody has ever seen - it was revealed that billions and billions of dollars were secretly transferred from Petrobras to senior politicians - and the oil giant lost half its value.

Before she became president, Dilma Rousseff was chairman of the board of Petrobras. She denies any involvement - and she has not been charged with any wrongdoing - but her connection to the company has not served her well. She has become the symbol of what has gone wrong in the country.

The reaction among the people in Brazil was severe. Thousands demanded the impeachment of the country's president.

Others are more quiet but just as angry, as they look ahead at a future more uncertain than they thought just a few months ago.

Tags: [Al Jazeera, Brasil, crise econômica, Petrobrás]