Vitória dos liberais canadenses: comentários direto de Montreal

Outubro 21, 2015

A análise a seguir reproduzida é de Rodrigo Pedroso Leite Pinto, engenheiro brasileiro nascido em Brasília que está há um ano residindo em Montreal, na província de Quebec. Comenta a eleição, na última 2ª. feira, 19 de outubro de 2015, de Justin Trudeau do Partido Liberal, substituindo a Stephen Harper do Partido Conservador, no poder desde 2006.

Sobre o Canadá atual, a ideia que estou formando é de que há um descontentamento geral com o Partido Conservador. Depois de 9 anos de governo parece haver um consenso de que é hora de mudar. Harper, atual 1º Ministro e o candidato conservador, prega austeridade e em seu mandato reduziu investimentos e removeu auxílios sociais. Ao longo do caminho conseguiu desagradar a gregos e a troianos.

A oposição, o Partido Liberal, vem de um vergonhoso histórico: foi removido do poder sob acusações de corrupção, com direito a polícia invadindo gabinete e tudo o mais. Justin Trudeau é filho de um dos maiores estadistas canadenses, Pierre Trudeau, que entrou para a história por apaziguar os ânimos separatistas do Quebec e por promover a união de todas as províncias. No enterro dele em 1998, Justin fez um discurso que foi bem recebido pela classe política e o colocou em voga para assumir a liderança do partido. É jovem, inexperiente, demonstrou fraqueza de conhecimento nas áreas de economia e política, e levantou como bandeira causas populistas como a legalização nacional da maconha e remoção de tropas da Síria. É unanimidade entre os jovens. Seus críticos o chamam de playboy fútil e irresponsável. Aparentemente o povo sente mais falta de um líder do que de um intelectual no poder.

As reclamações dos que moram aqui são excesso de impostos, pouco auxílio para empreendedores e sistema de saúde público desrespeitoso (espera-se horas na fila quando o caso não é grave). Como se pode imaginar, tudo soa absurdo para um brasileiro. Pago os impostos sorrindo para receber remédios, escola, hospital, transporte, energia barata.

Abrir empresa leva 20 minutos e além dos incentivos fiscais eles, como apoio, dão um salário mínimo por 52 meses. E eu sei que sistema de saúde e desenvolvimento social não é fácil no mundo todo.

Os problemas do Canadá são sindicatos muito fortes, principalmente no Québec, que historicamente mantém os níveis de ineficiência e corrupção acima do (piores que o) padrão americano; meio ambiente (controvérsia sobre exploração de xisto betuminoso e o uso de fracking); e diminuição de progresso econômico (queda do preço do petróleo quebrou a província de Alberta e colocou Ontario em cheque). Um playboy populista não inspira muita confiança para resolver essas causas. Vejamos como as coisas caminham daqui para a frente.

Para terminar, o Harper parece ter deixado um largo legado de gafes, ainda que nada que se compare à nossa presidenta. Entre eles está o seu horrível sotaque ao tentar falar francês, em especial o tique de trocar o L por R em élections. A oposição fez ótima coletânea de exemplos que diverte a todos os canadenses."

Tags: [Canadá, eleições 2015, Justin Trudeau, Partido Conservador, Partido Liberal, Stephen Harper]