Corrupção na Petrobrás: 50 denunciados ao Supremo

Março 07, 2015

Na noite da 6ª. feira, 6 de março de 2015, em novo e relevante passo que aprofunda e amplia o leque de consequências trazidas pela Operação Lava Jato de in vestigação do escândalo da Petrobrás, o Supremo Tribunal Federal – STF – por meio do ministro Teori Zavascki acatou os pedidos de abertura de inquérito encaminhados pelo Procurador-Geral da República – PGR - Rodrigo Janot.

São cinquenta envolvidos, a grande maioria de políticos – entre os quais os presidentes do Senado e da Câmara dos Deputados, o líder de bancada, o tesoureiro e ex-ministros do PT, além de um ex-Presidente da República –, conforme a lista abaixo, com base no noticiário divulgado pelo Jornal do Brasil e pelo O Globo (https://oglobo.globo.com/brasil/).

Na verdade a PGR solicitou a abertura de 28 inquéritos no STF, para investigar a participação de pessoas (na Operação Lava-Jato) com foro privilegiado e supostamente envolvidas nos desvios de recursos da Petrobras, em todos os casos revogando o sigilo para efeitos de tramitação, o que torna pública a documentação dos casos. O ministro fez questão de declarar que a abertura de inquérito não representa juízo antecipado sobre autoria dos delitos,principalmente porque os indícios são fundados em depoimentos provenientes da figura jurídica da delação premiada.

[caption id="attachment_1779" align="alignright" width="300"]REnan Calheiros, presidente do Senado e Roberto Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, denunciados na Lava Jato Renan Calheiros, presidente do Senado e Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados, denunciados na Lava Jato[/caption]

Entre os que tiveram seus processos arquivados estão os políticos Delcídio Amaral, Romero Jucá, Henrique Eduardo Alves, Aécio Cunha Neves.

“O principal trata do esquema de pagamento de propina a agentes políticos responsáveis pela indicação de integrantes de três diretorias da Petrobras. Segundo os depoimentos, os políticos responsáveis pela indicação de Paulo Roberto Costa para Diretoria de Abastecimento da Petrobras recebiam, mensalmente, um percentual do valor de cada contrato firmado pela diretoria, outra parte era destinada a integrantes do PT responsáveis pela indicação de Renato Duque para Diretoria de Serviços. Era essa diretoria que indicava a empreiteira a ser contratada, após o concerto entre as empresas no âmbito do cartel. A PGR informa que, de 2004 a 2011, o PP sustentava a indicação de Paulo Roberto. A partir de 2011, os integrantes do PMDB assumiram a indicação do diretor. Daí porque também passaram a receber uma fatia da propina”, diz a nota PGR.

Segundo a procuradoria, o pagamento da propina era feito pelas empreiteiras diretamente aos políticos ou por meio dos operadores financeiros, incluindo doleiro Alberto Youssef, o doleiro Fernando Baiano e o tesoureiro do PT, João Vacari Neto. A atuação da PGR na Operação Lava-Jato foi motivada pelo envolvimento de pessoas com prerrogativa de foro citadas em depoimentos do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa e Youssef.

As investigações revelam que a divisão política das diretorias da Petrobras era feita da seguinte forma: diretoria de Abastecimento, ocupada por Costa entre 2004 e 2012, tinha indicação de integrantes do PP e posterior apoio de integrantes do PMDB, elo entre os integrantes era o doleiro Alberto Youssef; diretoria de Serviços, ocupada por Renato Duque entre 2003 e 2012, de indicação de integrantes do PT, sendo o tesoureiro do partido, João Vaccari, responsável pela distribuição dos valores; diretoria Internacional, ocupada por Nestor Cerveró entre 2003 e 2008, de indicação de integrantes do PMDB, com integração feita por Fernando Baiano.

A lista de investigados

RENAN CALHEIROS **PMDB(AL)**

EDUARDO CUNHA **PMDB(RJ)**

ANIBAL GOMES **PMDB(CE)**

EDISON LOBÃO **PMDB(MA)**

ROMERO JUCÁ **PMDB(RR)**

VALDIR RAUPP **PMDB(RO)**

AGUINALDO BORGES **PP (PB)**

ARTHUR LIRA **PP (AL)**

BENEDITO DE LIRA **PP(AL)**

CIRO NOGUEIRA **PP(PI)**

DILCEU SPERAFICO **PP(PR)**

EDUARDO DA FONTE **PP(PE)**

GLADSON CAMELI **PP(AC)**

JERÔNIMO PIZZOLOTTO GOERGEN **PP(RS)**

JOÃO SANDES JÚNIOR **PP(GO)**

JOSÉ AFONSO HAMM **PP(RS)**

JOSÉ OLÍMPIO MORAES **PP(SP)**

JOSÉ OTÁVIO GERMANO **PP(RS)**

LÁZARO BOTELHO MARTINS **PP(TO)**

LUIS CARLOS HEINZE **PP(RS)**

LUIZ FERNANDO FARIA **PP(MG)**

NELSON MEURER **PP(PR)**

RENATO MOLLING **PP(RS)**

ROBERTO BRITTO **PP(BA)**

ROBERTO EGÍDIO BALESTRA **PP(GO)**

SIMÃO SESSIM **PP(RJ)**

WALDIR MARANHÃO**PP(MA)**

ANTÔNIO ANASTASIA**PSDB(MG)**

GLEISI HOFFMANN**PT(PR)**

HUMBERTO COSTA**PT(PE)**

JOSÉ MENTOR**PT(SP)**

LINDBERGH FARIAS**PT(RJ)**

VANDER LOUBET**PT(MS)**

FERNANDO COLLOR**PTB(AL)**

ROSEANA SARNEY**PMDB (MA)**

ALINE CORRÊA**PP (SP)**

CARLOS MAGNO RAMOS**PP (RO)**

JOÃO FELIPE DE SOUZA LEÃO**PP (BA)**

JOÃO PIZZOLATTI JR.**PP (SC)**

JOSÉ LINHARES PONTE**PP (CE)**

MÁRIO NEGROMONTE**PP (BA)**

PEDRO CORRÊA**PP (PE)**

PEDRO HENRY**PP (MT)**

ROBERTO COUTINHO TEIXEIRA**PP (PE)**

VILSON COVATTI**PP (RS)**

ANTÔNIO PALOCCI**PT (SP)**

CÂNDIDO VACCAREZZA**PT (SP)**

JOÃO VACCARI NETO**PT**

LUIZ ARGÔLO**SD (BA)**

FERNANDO ANTÔNIO FALCÃO SOARES (BAIANO)**SEM PARTIDO**

Tags: [crise, Lista de envolvidos, Petrobrás, PGR, políticos brasileiros, STF]