Ataque chavista à Assembleia

Em Caracas, nesta 4a. feira 5 de julho de 2017, o regime de Nicolás Maduro deu um passo a mais no rumo da implantação da ditadura. Milicianos chavistas com apoio superior empunharam marretas e barras de ferro para assaltar violentamente o prédio da Asamblea Nacional (o parlamento único da Venezuela) e golpearam os legisladores da oposição, deixando 5 deputados feridos.

O ataque à sede máxima do Poder Legislativo pelos militantes, sem dúvida planejado com antecedência no Palácio de MiIraflores, ocorreu graças às facilidades da polícia que deveria proteger o edifício. Os militantes entraram sem ser barrados por quem quer que fosse, acuando as cerca de 350 pessoas que ali estavam: 120 populares, 108 jornalistas, 28 funcionários e 94 deputados. Mais prisões se sucederam.
Atualmente o regime chavista contabiliza pelo menos 391 presos políticos segundo a organização Foro Penal Venezolano. Maduro propõe uma nova Assembleia Constituinte para escrever uma nova Constituição. O plebiscito popular previsto para 30 de julho é negado pels oposição que faz protestos diários com manifestações de rua que são cada vez mais duramente reprimidas pelas forças bolivarianas que causam mortos e feridos em escala crescente.

Deputados oposicionistas Luis Stefanelli e José Regnaut (à direita), espancados por militantes pró-Maduro dentro da Asamblea Nacional em 5/7/2017 (imagens AP e EFE)

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*