Vinhos e gastronomia: Espanha incomparável

A Associação Espanhola de Periodistas (Jornalistas) e Escritores de Vinho – AEPES – (www.aepes.es ou veja relação no site www.bonviveur.es/) divulga os resultados de sua 8a. edição para os melhores vinhos da Espanha de 2016. Os associados votam segundo onze categorias e, ainda escolhem os três melhores para a premiação do vinho do ano, O vencedor maior foi o Don PX 1986 PR, seguido pelo Vicenzio Petit Verdot Rosado 2015 das Tierras de Castilla e por um espumante: Gramona Imperial Brut Gran Reserva 2008 das Cavas Gramona.

Melhor explicado, o Nº 1 é o Toro Albala (o produtor) Gran Reserva (a classificação) Pedro Jiménez (a uva) Sherry (o tipo do vinho) da safra de 1986 e finalmente engarrafado em 2014. É apresentado como um vinho branco doce de extraordinário equilíbrio e complexidade que acompanha à perfeição sobremesas, queijos azuis e em especial chocolate negro com alto teor de cacau como os provenientes de Madagascar e da Etiópia, vendido na fonte por 16,50 euros (R$ 55,22 sem impostos e lucros de intermediários). É proveniente de vinhedos da Andalucia, a 45 km. de Córdoba, próximos ao Mediterrâneo e a Cádiz, a cidade mais antiga da Europa onde viveu Hércules.

Entre os vinhos brancos jovens, sem criação em barricas de carvalho, destacaram-se – segundo os critérios da AEPES – o Vindel Martín 2013 das bodegas Códax e o El Paraguas Atlántico 2014. Na categoria “Brancos com carvalho” venceu o Barón de Chirel Verdejo 2014 das Viñas Centenarias da tradicional Marqués de Riscal, e o Milmanda 2012 da Miguel Torres, vinícola muito conhecida nos supermercados brasileiros. Os melhores tintos em safras recentes foram o Habla del Silencio 2014 (Bodegas Habla de Extremadura) e o Garnacha 2015 da Finca Herrera.

Para que se tenha uma noção das tremendas diferenças de preços em relação às ofertas do mercado no Brasil de hoje, um grande vinho espanhol, um Pesquera crianza da Ribera del Duero (considerado como similar ao icônico Vega Sicília) que vale 14,79 euros (R$ 49,50 ao câmbio oficial) numa casa de vinhos em Madri, é oferecida pela importadora Mistral a R$ 249,83, ou cinco vezes mais.

No campo da alta gastronomia, reagindo à publicação dos melhores restaurantes do ano passado (veja neste Site o texto “Melhores restaurantes do mundo em 2016 e seus preços” em http://mundoseculoxxi.com.br/?p=3789) que, embora tenha incuído três casas espanholas entre as dez primeiras não destacou o parque gastronômico de Barcelona, justamente nessa cidade os irmãos Adrià – Ferrán do El Bulli fechado em 2011 e Albert – acabam de inaugurar o Enigma, completando o conjunto de seis casas que inclui o Pakta, Tickets (um “bar de tapas” já com uma estrela Michelin e classificado em 29º na lista da britânica Restaurant), Bodega 1900, a “taquería” Niño Viejo e Hoja Santa voltado à cozinha mexicana.

O Enigma, tido como o sucessor do El Bulli, ao contrário desse é uma casa de talhe moderno com vários ambientes numa área de 700 m2 no bairro de Sant Antoni, perto do movimentadíssimo mercado e do hotel Vilamarí. O menu, como não poderia deixar de ser, é o Degustação, servindo nada menos que 40 pratos diferentes, todos pequenos, mas que consomem facilmente as quatro horas previstas para a refeição. Dentro da tradição espanhola, o restaurante funciona à noite a partir das 19h30 na Carrera Sepúlveda; atende só 24 fregueses por noite e não aceita crianças nem fornece comida para clientes vegetarianos. Fecha aos domingos e 2as. É preciso fazer reserva antecipada pela internet, pagando 100 euros adiantado que são depois descontados do preço da janta que sai 220 euros per capita, exceto a bebida. Uma limitada carta de vinhos é oferecida ao preço adicional de 90 euros.

Outra novidade em voga em Barcelona é o recém inaugurado restaurante de Leonel Messi: Bella Vista del Jardín del Norte (Enric Granados, 86), a cargo de seus dois irmãos Rodrigo e Matias em sociedade com os irmãos Iglesias de uma família de donos de restaurantes na região. É imenso, com 2.000 m2 de área e serve de tudo um pouco, mas a crítica inicial não é das melhores em relação à qualidade dos pratos e os preços são salgados demais.

Mejor Vino del Año 2016: Don PX 1986 GR (España)

Botella del vino Don PX 1986 GRToro Albalá

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*