Três candidatos finais disputam OMS

A Organização Mundial da Saúde acaba de escolher os três candidatos que sobreviveram à dura campanha dos seis proponentes preliminares para o cargo de Diretor Geral, e que deverão submeter-se ao processo de escolha, em maio próximo, pela Assembléia Mundial da Organização em Genebra.

Um deles substituirá a chinesa Margaret Chan, atual Diretora-Geral que se manteve no posto nos últimos dez anos.

Da esquerda para a direita, Ghebreyesus, Nishtar e Nabarro. Concorrem ao posto de Diretor-Geral da OMS
  • Tedros Adhanom Ghebreyesus da Etiópia recebeu 30 votos;
  • Sania Nishtar do Paquistão – 28 votos;
  • David Nabarro do Reino Unido – 18 votos.

O ex-ministro da Saúde e das Relações Exteriores da França, Philippe Douste-Blazzy, e o italiano Flavio Bustreo obtiveram 14 votos cada, ficando fora da disputa, da mesma forma que o médico húngaro Miklós Szocska, este previamente eliminado.

Confirmou-se o favoritismo inicial do biólogo etíope graças ao apoio da União dos Estados Africanos, mas a significativo votação obtida pelos seus adversários, em especial por Nishtar, a médica paquistanesa que tem a seu favor os votos dos países que compõem a Organização de Cooperação Islâmica (IOC) e de países do Golfo. O britânico David Nabarro tentará absorver o apoio colhido pelo candidato francês e pela italiana buscando uma sustentação de base europeia, mas os ressentimentos em relação ao Brexit (retirada do Reino Unido da União Europeia) diminuem suas chances. Anuncia-se, de ora em diante, uma luta acirrada de convencimento dos delegados que terão a missão de definir quem comandará a saúde global nos próximos cinco anos.

Para entender melhor os interesses envolvidos e as características de cada candidato, leia neste Site a matéria “Troca de guarda na OMS”.

Troca de guarda na OMS

 

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*