Febre Amarela: o que é e o que fazer

Surto de Febre Amarela (FA) em Minas Gerais e em municípios limítrofes! E o Brasil, já tão sofrido e acostumado às más notícias neste início de 2017, prepara-se para enfrentar a volta de outra doença transmissível, com a diferença de que desta feita a ameaça é bem mais séria. Embora o último caso de FA urbana date de 1942, na verdade a doença nunca foi embora, mantendo-se ativa na sua forma silvestre. Ainda assim, entre dezembro de 2007 e maio de 2008, seis estados brasileiros (Goiás, DF, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará e Paraná) tiveram 40 casos humanos confirmados com 21 óbitos.

Agora já são 23 mortes em Minas Gerais que decretou estado de emergência nos municípios de Teófilo Otoni, Governador Valadares, Manhumirim e Coronel Fabriciano. Com 206 casos notificados, a Secretaria Estadual de Saúde diz que esta é maior epidemia já verificada em Minas, observando que há uma expansão de casos para os estados do Espírito Santo, Rio e Bahia. Em São Paulo, o alerta foi dado pela morte de cinco macacos em matas dos bairros de Cristo Rei e Caic na cidade de São José do Rio Preto, provavelmente por FA silvestre.

A principal preocupação está no ressurgimento da FA urbana, por atingir quantidade bem maior de pessoas do que a silvestre. No Brasil, as causas para a volta do mal residem em quatro fatores: a)o desinteresse geral da população pela não ocorrência de casos (na modalidade urbana) nos últimos 75 anos; b) os baixos níveis de imunização na população; c) o grande aumento no número de habitantes; d) a infestação urbana pelo mosquito Aedes Aegypti (transmissor do dengue, chikungunya e zica) e o insucesso das tentativas em controlá-lo ou erradicá-lo.

O enfrentamento do problema se dá por meio da vacina que é considerada como eficaz.

As orientações do Ministério da Saúde brasileiro estão detalhadas a seguir.

O Ministério da Saúde recomenda que as pessoas que residem ou viajam para regiões silvestres, rurais ou de mata dos municípios que compõem a Área com Recomendação de Vacinação, se vacinem contra a febre amarela. A vacina é ofertada no Calendário Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e é enviada, mensalmente, para todo o país.

O que é a febre amarela?

É uma doença infecciosa febril aguda, causada por um arbovírus (vírus transmitido por artrópodes), que pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente.

Os casos de Febre Amarela no Brasil são classificados como febre amarela silvestre ou febre amarela urbana, sendo que o vírus transmitido é o mesmo, assim como a doença que se manifesta nos dois casos, a diferença entre elas é o mosquito vetor envolvido na transmissão.

Na FA silvestre, os mosquitos dos gêneros Haemagogus e Sabethes transmitem o vírus e os macacos são os principais hospedeiros; nessa situação, os casos humanos ocorrem quando uma pessoa não vacinada adentra uma área silvestre e é picada por mosquito contaminado. Na FA urbana o vírus é transmitido pelos mosquitos Aedes aegyptii ao homem, mas esta não é registrada no Brasil desde 1942. O ciclo de transmissão do vírus da Febre Amarela está na imagem:

febreamarela

Qualquer pessoa está em risco de contrair febre amarela silvestre?

Sim. Qualquer pessoa sem ter sido vacinada que viva ou visite áreas onde há transmissão da doença, pode ter Febre Amarela, independentemente da idade ou sexo.

A febre amarela é contagiosa?

A doença não é contagiosa, ou seja, não há transmissão de pessoa a pessoa. É transmitida somente pela picada de mosquitos infectados com o vírus da febre amarela.

Quais os sintomas da Febre Amarela?

Os sintomas iniciais incluem febre de início súbito calafrios, dor de cabeça, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. Em casos graves, a pessoa pode desenvolver febre alta, icterícia (coloração amarelada da pele e do branco dos olhos), hemorragia e, eventualmente, choque e insuficiência de múltiplos órgãos. Cerca de 20-50% das pessoas que desenvolvem doença grave podem morrer. A FA pode levar à morte em cerca de uma semana, se não for tratada rapidamente.

Como se manifesta a Febre Amarela?

O período em que o vírus irá se manifestar no homem varia de 3 a 6 dias, após a picada do mosquito infectado, podendo se estender até 15 dias. A maioria das pessoas apresenta melhora após os sintomas iniciais, no entanto cerca de 15% apresentam apenas um breve período de horas a um dia sem sintomas e, então, desenvolvem uma forma mais grave da doença.

Esse homem doente pode servir como fonte de infecção para outros mosquitos transmissores durante no máximo 7 dias (entre 24 a 48 horas antes do aparecimento dos sintomas até 3 a 5 dias após). Nos casos que evoluem para a cura, a infecção confere imunidade duradoura. Isso quer dizer que você só pode ter febre amarela uma vez na vida.

O que você deve fazer se apresentar os sintomas?

Depois de identificar alguns dos sintomas, procure um médico na unidade de saúde mais próxima e informe sobre qualquer viagem para áreas de risco nos 15 dias anteriores ao início dos sintomas e se você observou mortandade de macacos próximo aos lugares que você visitou.  Informe, ainda, se você tomou a vacina contra a febre amarela, e a data.

Como a febre amarela é tratada?

Não há nenhum tratamento específico contra a doença. O médico deve tratar os sintomas, como as dores no corpo e cabeça, com analgésicos e antitérmicos. Salicilatos devem ser evitados (AAS e Aspirina), já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. O médico deve estar alerta para quaisquer indicações de um agravamento do quadro clínico.

Como a doença pode ser evitada?

A única forma de evitar a Febre Amarela é através da vacinação. A vacina está disponível gratuitamente durante todo o ano, nas 36 mil salas de vacinação, distribuídas no País.

Ministerio da Saude - Febre Amarela TABELA1205
Que lugares são classificados como áreas de risco?

Locais que têm matas e rios onde o vírus e seus hospedeiros e vetores ocorrem naturalmente são identificadas como áreas de risco. No Brasil, no entanto, a vacinação é recomendada para as pessoas a partir de 9 meses de idade que residem ou se deslocam para os municípios que compõem a Área Com Recomendação de Vacina.

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*