Crise brasileira: Resumo da Lava Jato em janeiro de 2017 (Boletim nº 38 de 17/1/2017)

Informações divulgadas no site da Polícia Federal do Ministério da Justiça e Cidadania revelam que, até 5/1/2017 a Operação Lava Jato teve 260 inquéritos instaurados e um total de R$ 2,4 bilhões em recursos bloqueados, com R$ 745,1 milhões repatriados.

O ano de 2016 fechou com 38 Operações deflagradas pela Lava Jato. A mais recente, a 38a., denominada de “Deflexão” é de 5/12/16 e diz respeito a esquema de propinas pagas a empreiteiros. A anterior, 37a., de 17/11, começou a investigar irregularidades em obras da Comperj, no complexo de Manguinhos e na reforma do Maracanã. Um acordo com o Depto. de Justiça dos Estados Unidos permitiu a denúncia de operações ilegítimas da Odebrecht em 9 países latino-americanos (Argentina, Colômbia, Equador, Guatemala, México, Panamá, Peru, República Dominicana, Venezuela) e em 2 africanos: Angola e Moçambique.

Texto de Humberto Trezzi, reporter da Zero Hora, dá os nomes dos apenados segundo sua localização atual. Tudo está reproduzido a seguir.

Operação Lava Jato chega a 2017 influenciando investigações internacionais

A SITUAÇÃO DE CADA APENADO
No Complexo Médico-Penal de Pinhais (CMP)

André Vargas (ex-deputado federal, eleito pelo PT): detido em abril de 2015 e condenado a 14 anos de prisão por corrupção. Passará o segundo Réveillon na cadeia.

Eduardo Cunha (ex-deputado federal do PMDB e ex-presidente da Câmara): preso em outubro por suspeita de lavar e esconder dinheiro oriundo de corrupção. Terá sua primeira virada de ano no cárcere.

Eduardo Meira (empresário): preso desde maio, acusado de pagar propinas a José Dirceu. É seu primeiro fim de ano atrás das grades.

Gim Argello (ex-senador do PTB): detido em abril, foi condenado a 19 anos por corrupção, em outubro. Passará o fim de ano na cadeia.

João Augusto Henriques (lobista): detido desde setembro de 2015 por corrupção, foi condenado em fevereiro a seis anos de prisão. Vai passar o segundo Réveillon na cadeia.

João Vaccari Neto (ex-tesoureiro do PT): detido desde abril de 2015, já foi condenado três vezes na Lava-Jato, a um total de mais de 32 anos de prisão. Ainda é réu em outro processo, em São Paulo. Será o segundo Réveillon na cadeia.

Jorge Zelada (ex-dirigente da Petrobras, ligado ao PMDB): preso em julho de 2015 por corrupção, vai passar o segundo Réveillon na cadeia de Curitiba. Foi condenado a 12 anos de prisão.

José Dirceu (ex-ministro, do PT): preso em agosto de 2015 por corrupção, foi condenado a 23 anos de prisão. Passará o segundo Réveillon na cadeia pela Lava-Jato, embora já tenha cumprido pena pelo mensalão.

Luiz Argôlo (ex-deputado federal do Solidariedade): preso em abril de 2015 por corrupção, foi condenado a 11 anos de prisão. Será o segundo Réveillon na cadeia.

Na carceragem da PF em Curitiba
Adir Assad (doleiro): detido em março de 2015, foi solto em dezembro daquele ano. Retornou à cadeia em agosto de 2016.

Antonio Palocci (ex-ministro, do PT): acusado de cobrar propina de diversas empresas, passará seu primeiro Réveillon preso.

Flávio Macedo (executivo): detido desde maio, acusado de pagar propinas a José Dirceu. Passará o primeiro Réveillon atrás das grades.

João Cláudio Genu (ex-tesoureiro do PP): preso desde maio por corrupção, foi condenado em dezembro a oito anos de prisão. Vai passar o Réveillon na cadeia.

Léo Pinheiro (empresário): preso em novembro de 2014, passou dois finais de ano na cadeia. Solto em junho de 2016, foi detido novamente em setembro de 2016 e passará mais um Réveillon na prisão. Foi condenado a 26 anos de reclusão.

Marcelo Odebrecht (empresário): condenado por liderar cartel de empreiteiras responsável por propinas, passará o segundo Réveillon na cadeia. Preso desde junho de 2015, fez delação premiada.

Pedro Corrêa (ex-deputado federal do PP): preso desde abril de 2015, por corrupção, vai passar o segundo Réveillon na cadeia. Foi condenado a 20 anos de prisão.

Renato Duque (ex-diretor de Petrobras, indicado pelo PT): detido em novembro de 2014, foi solto no mês seguinte e voltou à cadeia em março de 2015. Desde então, segue encarcerado. Foi condenado duas vezes por corrupção e lavagem de dinheiro. Suas penas somam 41 anos de prisão. Será o segundo Réveillon na cadeia.

Wilson Carlos Carvalho (ex-secretário do governo estadual do Rio): preso em novembro, acusado de corrupção no governo Sérgio Cabral, passará o primeiro Réveillon na cadeia.

Presos em outros Estados
Paulo Ferreira (ex-tesoureiro do PT e ex-deputado federal): o político gaúcho está no presídio paulista de Tremembé II, no Vale do Paraíba, chamado de ¿prisão dos famosos¿. O cárcere abriga o médico Roger Abdelmassih e Alexandre Nardoni, pai da menina Isabella, entre outros.

Sérgio Cabral (ex-governador do Rio, do PMDB): está no Complexo Penitenciário de Bangu 8, na zona oeste do Rio. Por dois dias conviveu com seu rival Anthony Garotinho, que acabou liberado para prisão domiciliar.

Com tornozeleira ou em casa

Alberto Youssef (doleiro): preso no início de 2014, já passou dois Natais e dois finais de ano na cadeia. Fez delação premiada e foi liberado em novembro de 2016 para prisão domiciliar, com tornozeleira eletrônica. No período preso, só conviveu com outros delatores.

Dario de Queiróz Galvão Filho (ex-presidente da Queiróz Galvão): passou as festas de fim de ano de 2014 preso em Curitiba. Está em prisão domiciliar, enquanto recorre contra a condenação.

Elton Negrão (ex-dirigente da Odebrecht): durante as festas de fim de ano de 2015 ficou preso em Curitiba. Agora está em prisão domiciliar, após acordo de colaboração premiada.

Fernando Soares, o Baiano (lobista): ligado ao PMDB, estava na cadeia nas festas de fim de ano de 2014 e ficou exatamente um ano preso. Após acordo de colaboração premiada, está em prisão domiciliar, com tornozeleira.

Gerson Almada (ex-dirigente da Engevix): passou as festas de fim de ano de 2014 preso em Curitiba. Está em prisão domiciliar, enquanto recorre de condenação.

João Alberto Luscher de Castro (ex-presidente da Galvão Engenharia): ficou preso nas festas de fim de ano de 2014. Agora está em prisão domiciliar, enquanto recorre contra a condenação.

João Ricardo Auler (ex-dirigente da Camargo Corrêa): também passou as festas de fim de ano de 2014 preso em Curitiba. Está em prisão domiciliar, enquanto recorre de condenação.

José Carlos Bumlai (pecuarista): passou as festas de final de ano de 2015 na cadeia, está condenado a nove anos de prisão. Foi liberado para prisão domiciliar em fevereiro, voltou para o presídio em agosto e foi liberado novamente para prisão domiciliar em novembro de 2016.

Mário Góes (lobista): ficou preso de fevereiro a julho de 2015. Condenado, fez colaboração premiada e está em prisão domiciliar, com tornozeleira.

Nestor Cerveró (ex-dirigente da Petrobras, ligado ao PMDB): preso em janeiro de 2015, passou aquele final de ano na cadeia. Fez acordo de colaboração premiada e ganhou prisão domiciliar em junho de 2016. Mora em um sítio na região serrana do Rio. Já foi condenado duas vezes.

Otávio Marques de Azevêdo (ex-presidente da Andrade Gutierrez): passou as festas de fim de ano de 2015 na cadeia. Após acordo de colaboração premiada, foi enviado para prisão domiciliar em 2016, com tornozeleira. Desde então, está nesse regime.

Paulo Roberto Costa (ex-diretor da Petrobras, ligado ao PP): detido no início de 2014, foi liberado no final daquele ano para prisão domiciliar, após acordo de colaboração premiada. Mora numa casa de praia no Rio.

Ricardo Pessoa (ex-presidente da UTC): estava na cadeia nas festas de fim de ano de 2014. Foi solto em 2015, após colaboração premiada. Está condenado, em prisão domiciliar, com tornozeleira.

Zwi Skornicki (lobista): preso em fevereiro de 2016, está em prisão domiciliar, com tornozeleira. Fez colaboração premiada e não chegou a passar um ano na cadeia.

Operação Lava Jato – Números

Trabalho de Polícia Judiciária Total
Mandados de busca e apreensão 752
Mandados de condução coercitiva 205
Mandados de prisão preventiva 84
Mandados de prisão temporária 100
Flagrantes 6
Policiais envolvidos para cumprimento de todas as medidas 3.980*
Viaturas envolvidas em todas as medidas 1.020*
Procedimentos de quebras de sigilo bancário e fiscal 650*
Procedimentos de quebras de sigilos de dados (telemático) 350*
Procedimentos de quebras de sigilo telefônico 330*
Número de inquéritos policiais instaurados 260
Número de inquéritos policiais em andamento 187
Processos eletrônicos abertos 1.397
Bens bloqueados ou apreendidos nas operações R$ 2.400.000.000,00
Repatriados R$ 745.100.000,00

* números aproximados

Material Periciado Total
Dispositivo de armazenamento computacional (Pen drive) 1279
Equipamento computacional (Telefone celular) 805
Dispositivo de armazenamento computacional (Disco rígido) 738
Equipamento computacional (Computador) 619
Equipamento computacional (Outros) 125
Documento contábil 96
Dispositivo de armazenamento computacional (Cartão de memória) 96
Dispositivo de armazenamento computacional (Disquete) 92
Dispositivo de armazenamento computacional (CD) 91
Documento (Outros) 91
Dispositivo de armazenamento computacional (DVD) 76
Dispositivo de armazenamento computacional (Outros) 69
Dispositivo de armazenamento computacional (Mídia ótica) 54
Elemento de munição (Projetil) 30
Dispositivo de armazenamento computacional (Fita magnética) 25
Material (Outros) 23
Equipamento computacional (Tablet) 18
Equipamento eletroeletrônico (Circuito eletrônico com memória) 10
Equipamento eletroeletrônico (Outros) 8
Material de audiovisual (Fita magnética de áudio) 5
Documento (Auto de colheita) 5
Embalagem 5
Equipamento computacional (Agenda eletrônica) 4
Arma de fogo 3
Material vegetal (Outros) 2
Equipamento computacional (Periférico) 2
Documento (IPL) 2
Munição 1
Equipamento eletroeletrônico (GPS) 1
Documento (Carteira de identidade) 1
Dispositivo de armazenamento computacional (Cartão SIM) 1
Laudos Periciais Total
Laudo de Exame de Equipamento Computacional Portátil 389
Laudo de Exame de Dispositivo de Armazenamento Computacional 274
Laudo de Exame de Equipamento Computacional 257
Laudo de Exame Financeiro 79
Laudo de Exame Contábil 42
Laudo de Exame de Local da Internet 22
Laudo de Exame Documental de Engenharia 16
Laudo de Exame de Local de Informática 10
Laudo de Exame Documentoscópico 6
Laudo de Exame de Obra de Engenharia 3
Laudo de Avaliação de Bens 3
Laudo de Exame de Arma 2
Laudo de Caracterização Física de Materiais 1
Laudo de Exame da Internet 1
Laudo de Exame Merceológico 1
Laudo de Exame de Elemento de Munição 1
Laudo de Exame de Local 1
Laudo de Exame de Identificação de Espécie Vegetal 1
Laudo de Exame de Registros de Áudio e Imagens 1
Informação Técnica 154

Números atualizados até 05/01/2017

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*