Farc declaram novo cessar-fogo

Pela quinta vez nos últimos dois anos as Farc declaram um cessar-fogo unilateral, mas desta feita não tem data para terminar. Antes vigoraram tréguas natalinas entre 20/12/2012 a 20/1/2013 e 15/12/2013 a 15/1/2014, seguidas pela interrupção no conflito este ano durante os períodos eleitorais de 20 a 28 de maio e de 9 a 30 de junho. Segundo o comunicado do Secretariado de Estado Maior das Farc, “este cessar-fogo unilateral, que desejamos se prolongue no tempo, dar-se-ia por terminado somente se constatado que nossas estruturas guerrilheiras foram objeto de ataques por parte da Força Pública.” Acrescenta que o acordo é passível de verificação por uma  organização internacional e para tanto nomeia a ONU, União Europeia, Cruz Vermelha, Unasul, Celac, o Papa Francisco (sic), Centro Carter.

O presidente Santos disse estar à espera de iniciativas concretas, mas nem todos estão otimistas. O Procurador Alejandro Ordoñez do Ministério Pùblico colombiano considera que o anúncio de cessar-fogo indefinido está na realidade condicionado a que a guerrilha não seja atacada a partir de 20 de dezembro e se trata de uma burla, pois significaria que poderiam continuar a sequestrar, a traficar. “Seria o mesmo que legalizar o narcotráfico”, opinou.  A opinião pública e os analistas consideram que está mais do que na hora de o processo de conversações de paz iniciado em setembro de 2012 tenha resultados concretos. Até aqui, enquanto governo e a mais antiga guerrilha latino-americana conversam em Havana, os combates seguem intensos nas selvas e em boa parte do território colombiano.

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*