Qual é a cor do vinho branco?

O site está desenvolvendo uma nova linha de análises e informações atualizadas acerca do mundo dos vinhos, ao disponibilizar inicialmente a seus leitores conteúdos do mundialmente famoso site norte-americano Wine Folly de Seattle, reconhecido pela qualidade e utilidade de seus textos. Mundo Século XXI divulgará conteúdos que sejam de maior interesse para enófilos e enólogos brasileiros de acordo com as normas autorizativas estabelecidas no título “Content Licensing” (winefolly.com/content-licensing/). O texto de hoje foi originalmente publicado no blog Wine Tips & Tricks sob o título “Savory or fruity? Understanding types of white wine by color”. Em princípio Mundo Século XXI publicará semanalmente (além de outras notícias divulgadas com regularidade) informações de caráter analítico a respeito de vinhos e suas conexões.  

Caracterizando o vinho branco por suas cores: o que procurar

Desde vinhos muito pálidos como um Sauvignon Blanc ou um Pinot Grigio até aqueles de grande intensidade de tons como um Chardonnay submetido à barrica de , um Sauternes ou um Riesling envelhecido, a cor do vinho pode dizer muito acerca do seu gosto antes mesmo de cheirá-lo.

Um vinho brilhante, quase efervescente nos diz que não é denso, não passou por carvalho e é levemente encorpado, jovem, filtrado de acidez elevada.  Em contraste, um vinho branco de tonalidade opaca ou de cor amarelada escura tem mais pigmentação e pode ter sido envelhecido em carvalho, ou retratar suas borras, ser um doce com grande quantidade de açúcar ou, ainda, ter origem de um processo de forte extração da cor a partir das cascas da uva.  Já a intensidade da cor é um indicativo de sua riqueza. Por exemplo, um Chardonnay muito pálido não tem carvalho e é picante, ao passo que um Chardonnay dourado e com alta saturação muito provavelmente terá passado pelo carvalho e ter um estilo amanteigado. Adicionalmente, se a doçura do vinho é proveniente de um elevado grau de contato com a casca da uva, o vinho resultante terá maior pigmentação. Um vinho doce feito parcialmente com a uva semillon, o Sauternes, é de um dourado brilhante.

Compare a cor de um Chablis (à esquerda, amarelo claro) e de um Chardonnay que passou pelo carvalho
Compare a cor de um Chablis (à esquerda, amarelo claro) e de um Chardonnay que passou pelo carvalho

Identificando as cores principais e secundárias do vinho branco

O vinho branco caracteriza-se por uma coloração entre o cobre e o ouro ou é verde-amarelo pálido? Vinhos que possuem uma tonalidade mais para o verde são mais salgados (savory) com sabores gramíneos como pimentão, feijão verde, limão. Os que apresentam uma tonalidade para o dourado para o cobre e amarelados tendem a apresentar mais fruta tal como damasco, pêssego, laranja, abacaxi.

Vinho branco em 6 taças

Na imagem acima temos seis taças de vinho branco, cada qual com uma coloração própria: 1. Vinho Verde / Pinot Gris, 2. Sauvignon Blanc, 3. Marsanne / Chenin Blanc / Viognier, 4. Chardonnay, 5. Vinho branco envelhecido, 6. Sherry. Segue uma breve descrição de cada um.

Taça 1. Pinot Grigio / Vinho Verde. Na verdade, quialquer vinho branco colhido em um baixo nível de açúcar e feito num estilo o mais fresco que for possível terá uma cor pálida e será praticamente incolor. Exemplos são o Riesling, Pinot Grigio, Vinho Verde, Ugni Blanc.

Taça 2. A cor do Sauvignon Blanc. Este é, definitivamente, o mais conhecido dos brancos com tonalidade verde tanto na cor quanto no sabor. Com o mesmo perfil (cor verde similar e sabor tendente a vegetais, encontram-se o Verdejo e o Albariño, ambos espanhóis, o Muscadet francês, o Trebbiano italiano, o Vermentino da Sardenha, o Cortese italiano, o Grüner Veltliner austríaco.

Taça 3. A cor do Chenin Blanc / Viognier / Marsanne. Estes são vinhos de corpo médio, tonalidade dourado pálido e um caráter de rica oleosidade. A cor varia com base em como a uva foi colhida, podendo ir do quase incolor ao amarelo forte. Se você gosta de um vinho branco nessas condições deve também considerar, além dos três citados no título, um Chardonnay sem carvalho, Pinot Blanc, Semillon, Macabeo (Rioja branco espanhol. Por outrolado, muitos vinhos doces têm um aspecto semlhante ao que se vê na figura 3, incluindo os doces no estilo Riesling, Moscato e Gewurxtraminer.

Taça 4. A cor do Chardonnay. Este é um dos mais ousados vinhos brancos e muitas vezes é fermentado e envelhecido em carvalho para adicionar riqueza extra e cor subsequente. A cor é tipicamente intensa e a refração da luz através do vidro tende a ser lenta. Algumas alternativas para esse tipo de Chardonnay e que igualmente passam pelo carvalho são: semillon & sauvignon blanc blend, um branco Rioja envelhecido, Trebbiano, Antão Vaz com bom tempo em barrica, Verdejo espanhol, Soave italiano mesclado com garganega & trebbiano, Malvasia (Itália – Sicilia).

Taça 5. Vinhos brancos envelhecidos. O vinho branco é muito sensível à luminosidade e à medida que envelhece sua cor pode mudar drasticamente de um leve amarelo para o marrom. A cor é mais concentrada se é um vinho envelhecido frente a um outro feito deliberadamente para ter uma coloração castanha. Diga-se, ainda, que a maioria dos vinhos brancos é produzida para consumo nos primeiros anos após o engarrafamento, não sendo projetados para o envelhecimento. Exemplos de bons vinhos brancos que envelhecem com dignidade são  Chardonnay, Riesling alemão, Rioja branco, Soave, Tokaji (vinho doce da Hungria).

Taça 6. A cor de vinhos de sobremesa como o Sherry. Vinhos doces são criados por meio da extração de cores intensas a partir da casca da uva . Quando as uvas são submetidaa a um mínimo de umidade o vinho resultante tem coloração intensa. E quando o vinho é exposto ao oxigênio eele começa a mudar para o marrom. A combinação de um vinho rico em cores com um oxidado (de propósito) produz a cor castanha. No caso do Sherry (Jerez), o vinho é envelhecido em barricas que propositadamente não estão cheias a fim de que o vinho resultante assuma uma tonalidade marrom semelhante à casca de uma noz. Vinhos com essas características incluem: Sherry, Madeira, Pedro Ximenez (Espanha).

Veja mais em:

"http://winefolly.com/tutorial/clinking-wine-glasses/"

Be the first to comment

Deixe seu Comentário

Seu e-mail não será publicado.


*